Pró-vida Anápolis

follow facebook

Domingo, 27 Junho 2004 00:00

"O dia em que cometi meu crime"

(um quadro dramático da síndrome pós-aborto, publicado com autorização da autora)

Ola Padre...meu nome e Juliana tenho 26 anos e uma vida turbulenta...venho visitando seu site faz algum tempo, e no que eu puder ajudar a organizacao eu ajudarei, nao sei se tera tempo de ler meu e-mail, mas espero que sim.

Porque estou te escrevendo Padre? porque fiz o que sua organizacao tanto tenta impedir, sim...eu matei meu bebe, e isso fazem exatamente 3 semanas e 3 dias...posso ate lhe contar o porque so pra que saiba e tenha nocao do que aconteceu, mas eu mesma ja sei que pra nenhum tipo de assassinato nao existe motivo, sim, nao existe explicacao para uma mulher fazer um aborto, a nao ser o proprio egoismo, nada justifica esse ato cruel com uma alma inocente.

Com 13 anos de idade fui morar com meu namorado pq meu pai me expulsou de casa, o motivo? porque contei para ele que meu avo me procurava durante a noite e me tocava. A familia do meu namorado me recebeu com muito amor, eu os tratava como se fossem meus pais, mas logo comecaram as pressoes para que eu engravidasse, e eu nao entendia, eu tinha 13 anos e eles queriam q eu engravidasse, mas nao consegui, mes apos mes vinha a fustracao de ver o resultado negativo, ate q um medico me disse q eu teria q fazer exames pra saber se estava tudo bem comigo. Eu nao fiz, qdo ja fazia 1 ano que eu morava com meu namorado eu resolvi sair de casa e fui morar na casa de uma familia q me deu muita forca, com 16 anos casei novamente...dessa vez no civil tambem, fiquei casada por 7 anos e no quinto ano de casamento fiz os testes pra saber o pq nao poderia engravidar, a medica disse que eu nao poderia engravidar por problemas no utero e muita acides no ovario, desde entao sempre que me perguntavam o porque havia casado tao nova e nunca havia engravidado eu dizia que nao gostava de criancas e nao pretendia engravidar...essa era minha fuga.

Me separei com 23 anos, tive outros namorados obvio pra mim, sou uma pessoa carente e nao tenho ninguem, logo, sempre tenho namorado mesmo pra nao me sentir sozinha.

Ate que vim pra Londres, logo na minha segunda semana aqui conheci o meu atual namorado, a vida aqui pra mim e muito corrida e cara tb, mas ainda assim muito mais facil de sobreviver do que no Brazil...ao menos pra mim....mas algumas coisas aqui me assustam, como a liberdade de se fazer o q quer sem ser punido.

Com 1 mes de namoro ele me chamou pra dividir um flat com ele...sabe Padre ele e arabe, muculmano, logo...eu confiei, entao fomos morar juntos em agosto/03, todo o tempo tivemos momentos bons e momentos ruins tambem, ele fez uma cerimonia de noivado com os amigos, ja que pela religiao dele ele nao pode morar junto e nem ter namorada, noivam e casam, ao menos foi isso que ele me falou, ele segue a religiao a risca, e eu sempre admirei isso nele, porque eu nasci catolica mas nunca pratiquei, ate cheguei a cogitar me converter muculmana tambem, tamanha a minha admiracao.

Entao em fevereiro/04 eu engravidei...so Deus sabe como e o porque....como eu nunca havia engravidado na minha vida e a medica havia dito que eu nunca poderia engravidar cheguei a pensar que eu estivesse com cancer no utero...sim...pensei isso...meu namorado comecou a insistir pra que eu fosse no medico...mas com meu trabalho e o medo de saber que eu estivesse com cancer sempre arrumava uma desculpa pra nao ir...ate que no final de marco/04 os sintomas comecaram a ficar pior...eu comia sem parar...meu estomago doia muito....sentia enjoo de coisas que eu gosto e de comida tambem...mas o meu periodo veio por dois dias neste mes! comecou a misturar o sentimento de medo de uma doenca e a excitacao de uma gravidez!

No mes de abril/04 eu continuei com todos os sintomas mas esperei meu periodo mais uma vez...mas desta vez nao veio...e como me sentia mais indisposta a cada dia q passava resolvi ir ao medico...sabe Padre aqui tudo e gratuito e acessivel...talvez se eu disser que eu quero me matar eles me ajudem na escolha do metodo tambem!

A consulta foi marcada para o dia 27/04 e enquanto eu conversava com a enfermeira, porque e ela quem faz tudo antes que eu fale com o medico, ela ja foi logo me dizendo pra mim ficar la por mais uma hora pra que eu fizesse o teste de gravidez...simm..fiquei 1 hora angustiante la no consultorio, meu namorado comigo...entao ate que ela me chamou pra falar o resultado, meu namorado nao entrou comigo, ela me pediu pra sentar entao sentou ao meu lado e disse "sim, voce esta gravida" logo depois veio "voce quer continuar a gravidez ou termina-la?"

Padre...cada vez que me lembro dessa frase eu choro muito...anos atraz eu sonhava emm ouvir isso...sempre sonhei emm ouvir isso...e agora enfim aconteceu! eu sai da sala, meu namorado me esperava do lado de fora da clinica...e quando disse a ele que eu estava gravida ele me olhou horrorizado, como se ele estivesse ouvindo a coisa mais nojenta da vida dele, e qdo abriu a boca ele me perguntou "ela te disse quando voce vai tirar?" isso me feriu a alma, meu coracao sangrou...eu chorei...e nao parei de chorar por dias....nao e exagero...fiquei tres dias levantando da cama apenas pra ir ao banheiro...nao queria comer....queria dormir e nao acordar mais...e o tempo todo ele me acusando...de ter engravidado de proposito, que sou descuidada, e claro sempre me ofendendo emm todos os sentidos que o senhor imaginar.

Nao acreditava quer estava gravida, o tempo todo falava com o meu bebe e chorava muito...ele foi rejeitado pelo pai desde o primeiro segundo em que soube da existencia dele....minha consulta com o medico estava marcada para o dia 03/06 e todos os dias q antecederam foram amargos pra mim...a pressao psicologica estava me enlouquecendo...eu nao conseguia acreditar que meu namorado sendo mulcumano fervoroso aceitava o aborto como se fosse algo mais natural do mundo!

Um dia ele me ligou e me perguntou como eu estava...eu disse q estava passando mal...entao ele disse..."se voce tirar essa coisa logo voce melhora"
entao comecei a me convencer que o aborto seria minha opcao, eu pensava que nao tinha condicoes financeiras o suficiente pra ter meu bebe num pais que diferente...sozinha....e o maior motivo...a rejeicao do pai...da maneira com que ele rejeitava meu bebe eu me senti rejeitada tb...nao como mulher ...mas como mae...senti que nao era boa o suficiente pra ser mae...ja que meu namorado falava isso o tempo todo.

No dia 03/05 eu fui no medico...neste pais qdo a mulher faz a opcao pelo aborto ela conversa com dois medicos antes de marcar a data, e foi neste dia que eu vi meu bebe...a segunda medica faz o ultrasom pra precisar qtas semanas exatas o bebe tem...e eu pedi pra ver...eu vi meu bebe Padre...ele estava com 13 semanas...ja formadinho...era o meu bebezinho...a pessoinha que eu mais quis na minha vida...mas minha fraqueza e meu egoismo nao a deixaramm vir ao mundo...sonho com essa imagem a cada noite que eu consigo dormir...qdo consigo...pq ja nao durmo bem...entao foi marcado para o dia 06/05.

06 de Maio de 2004
Esse foi o dia em que me tornei a mais desgracada da mulheres...cheguei no hospital as 07:00 da manha...me deixaramm na sala de espera ate as 09:00, em todo esse tempo...eu tinha a esperanca do meu namorado entrar na sala e me dizer pra nao fazer isso...que ele me ajudaria a cuidar do meu bebe...mas ele estava dormindo confortavel em casa...as 10:00 a enfermeira veio...colocou algo dentro da minha vagina, ela disse quer era pra relaxar o cervix....como eu estava com 13 semanas o metodo seria de succao! ate entao nunca havia ouvido a respeito...nao sabia do q se tratava...esperei ate as 11:30 me colocaramm numa maca e veio um homemm...colocando algo na minha veia...disse quer era pra mimm dormir...e eu dormi...

13:00
Eu ouvia a enfermeira me chamando...acordei...e no mesmo segundo comecei a chorar e fiquei descontrolado...perguntava aonde estava meu bebe...aonde tinhamm colocado...eu o queria novamente dentro de mimm....tarde demais Padre....eu ja o havia matado...olhei para a roupa que eu estava...ela estava ensanguentada entao nao parei de chorar por uma hora...entao a enfermeira me perguntou pq eu havia feito isso...mas eu nao soube reponder...pq eu tb nao sabia Padre.

Por uma semana eu nao saia do quarto....chorava muito...o arrependimento doi na alma...ele chegou um dia do trabalho e me disse q nao entendia o pq eu chorava tanto..."aquilo nao tinha vida" dizia ele....minha magoa por ele cresce e cresce a cada dia...pq eu matei meu bebe e ele o ofende como se nao fosse nada...

Eu tentei me matar...tomei um vidro de tranquilizante...nao adiantou...eu entrava muito na internet...e emm alguns sites eu via fotos de fetos abortados...de historias de mulheres que abortaram...me sentia horrivel...ainda me sinto comecei a culpar meu namorado pelo o que eu cometi...culpei Deus por nao ter me impedido...ate que aos poucos entendi que a unica culpada sou eu mesma...meu namorado nao sei explicar...ele se esconde atraz da religiao...mas segue seus interesses conforme lhe convem...portanto eu nunca deveria ter dado ouvido a ele...qto a Deus...ele me deu o que eu mais queria...e eu o matei dentro de mimm...mas ainda assimm ressentia por Deus nao ter estado comigo.

Um dia estava tendo mais um acesso de insanidade...queria me matar novamente...foi uma crise horrivel...eu chorava muito...fiquei descontralada...nao tinha ninguemm comigo...entao pedi perdao a Deus e so queria que ele me desse sanidade naquele momento pra que eu nao tentasse novamente me matar...eu nao queria morrer...mas algo possuia minha mente e eu sentia ou ouvia que era a unica solucao...eu nunca havia sentido isso na vida e nunca acreditei nisso...e ate agora nao consigo entender como isso aconteceu...qdo pedi a Deus q me protejesse senti tanta dor no corpo...minha cabeca leve...eu adormeci...

Qdo acordei estava calma...nao sentia desespero...Deus esteve comigo o tempo todo...eu e quem nao dei ouvido a ele...e entrei num caminho sem volta...ainda sofro muito Padre...nao me perdoo pelo que eu fiz ao meu bebe...a facilidade do aborto nesse pais acabou comigo...as coisas faceis me destroem sempre...quero ajudar cada pessoa que eu puder emm minha vida pra que nao aborte...pq sei q a pressao psicologica e financeira levamm muitas mulheres a cometeremm esse pecado...q marca nao so a vida mas a alma da gente.

Essa e uma parte da minha historia Padre...quis desabafar com o senho que faz um trabalho espetacular...eu vou entrar nessa luta...

Nao vou a igreja aqui Padre...tenho vergonha...de mimm mesma... e de Deus tb...nao sou digna de pisar num lugar santo como a casa do Senhor...


Mas hj oro pra que Deus me perdoe...e meu bebe tb.

Juliana


Comentário:

O texto acima foi enviado por e-mail no dia 30/05/2004. A jovem Juliana consentiu que ele fosse publicado na íntegra. Tudo foi conservado ipsis literris, inclusive eventuais erros de digitação.

Alguns trechos são dignos de atenção especial:

"algumas coisas aqui [em Londres] me assustam, como a liberdade de se fazer o que quer sem ser punido"

"sabe Padre aqui tudo e gratuito e acessivel... talvez se eu disser que eu quero me matar eles me ajudem na escolha do metodo tambem!"

"a facilidade do aborto nesse país  [Inglaterra] acabou comigo...as coisas faceis me destroem sempre... quero ajudar cada pessoa que eu puder emm minha vida pra que nao aborte"

Essas frases precisam ser lidas por aqueles que pensam que a liberdade e a facilidade de "decidir" abortar ajudariam as mulheres grávidas do Brasil. Que Deus nos livre da legalização do aborto...

Anápolis, 27 de junho de 2004

Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz
Presidente do Pró-Vida de Anápolis

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

CNPJ 01.813.315/0001-10 - Reconhecido como entidade de utilidade pública municipal pela lei 2497/97
Rua Bela Vista, Quadra M, Lote 65, Jardim Goiano, 75140-460, Anápolis, GO
Para correspondência: Caixa Postal 456 75024-970 - Anápolis - GO
Telefones (62)3313-4792 / (62)3315-9413
Produzido por Trídia Criação

Usando Joomla!