Pró-vida Anápolis

follow facebook

Sexta, 28 Janeiro 2005 01:06

"Meu testemunho"

"Hoje me sinto em paz comigo mesma". Assim se exprime Cristiane, moradora da zona leste de São Paulo, mãe de um filho anencéfalo. Ela encontrou conforto nos testemunhos de outras mães, publicados na página do Pró-Vida de Anápolis. Após o nascimento de seu bebê, ela nos enviou por e-mail a seguinte mensagem, em 28/01/2005.

O Senhor é aquele que dá a vida e aquele que toma a vida". (Jó 1:21)
Meu nome é Cristiane e eu tenho 28 anos e moro em São Paulo.
Minha história começou em junho de 2004, seis meses após um aborto no primeiro trimestre.
Já estava conformada e certa de que não teria problema numa próxima gestação.
Na Sexta semana tive um sangramento, mas já havia feito os primeiros exames pré-natais e então minha médica receitou Dactil e Duphaston, remédios para segurar o bebê. Na oitava semana fiz o primeiro ultrassom, e lá estava o baby, lindinho, com dois centimetros e meio, coração batendo forte, e fiquei tão feliz.
Terceiro mês, nova consulta, a doutora ouviu o coração bater, disse que estava tudo bem, e eu a cada dia mais feliz...Queríamos um menino, e sonhávamos com ele, mas também pensávamos na possibilidade de ser uma menina, e escolhíamos nomes.
No quarto mês enfim a doutora pediu um ultrassom morfológico, e pela primeira vez meu marido iria acompanhar o exame, marcamos para um Sábado, e fomos tão contentes, já imaginando a gente voltando e falando para todos: é um menino, ou é uma menina...
O médico mediu ossos, mostrou as mãozinhas, pezinhos, tudo perfeito, um menino, lembro que olhei para o meu esposo, e ele riu tão feliz, e de repente, muito silêncio, que pareciam uma eternidade, então o médico deu a notícia : não vejo os ossos do crãnio.
Quando comecei a questioná-lo, simplesmente disse: procure o seu médico, e ele irá te orientar.
Quando entregaram o exame, comecei a ler, e vi : diagnóstico sugestivo de anencefalia.
Então chorei, chorei e chorei durante uns três dias sem parar.
Pensava no meu filhinho, e achava que era alguma coisa reversível, que poderia fazer uma operação e tudo se resolveria.
Comecei a procurar na internet sobre o que seria, e não encontrava coisa que me esclarecesse, queria ver do que se tratava. Só encontrava sobre a questão do aborto, e todos dizendo que a gravidez era de risco, que a criança por certo morreria.
Chegou o dia da consulta com a minha médica, ela não me induziu a nada. Apenas disse que a maioria das pessoas nestes casos abortava, mas que era proibido por lei, que a gravidez para mim não tinha risco nenhum, e que eu pensasse sobre o que gostaria de fazer.
Comecei a pensar não na possibilidade de abortar, mas eu pensava : ai, que sofrimento ! Como vou aguentar mais vinte semanas, ouvindo as pessoas perguntando sobre o bebê, eu não queria mentir, mas não queria que todos começassem a dar palpite, eu dizia : ele está bem, e fugia do assunto.
Contei para algumas pessoas conhecidas, algumas eram solidárias, mas não davam opinião nenhuma, enquanto outras diziam: então, interrompe logo essa gravidez, pra que ficar carregando esta criança á toa ?
Como doía, eu pensava: meu filho não é um ser á toa. Ele tem uma imperfeição, mas ele também tem os meus traços, ele tem uma vida mexendo dentro de mim.
Então encontrei o site do Pró Vida de Anapólis, e foram os testemunhos que eu li que fizeram mudar os meus sentimentos.
A verdade de Deus, é que Ele é quem faz todas as coisas do seu jeito. Deus é o que dá vida, e o que tira a vida, Deus é o que dá vitória. Deus é que é o Senhor da história e o dono da história, é o que conduz a história. Ele que tem direito de pegar a minha vida e molda-la para seus propósitos, para atingir os seus objetivos que são bons, que são sábios, que são cheios de amor, mas as vezes não conseguimos entender com clareza . Por exemplo: quando você ora por um doente, e você deve orar mesmo, e Deus o cura, você se alegra e você tem que se alegrar mesmo e você diz: "Louvado seja o Senhor". E quando você ora por um doente e Deus não o levanta, você fica como? Mas Deus é quem dá a vida e quem tira a vida. Paulo entendeu isto, dizendo: "Se vivemos, com o Senhor vivemos, se morremos com o Senhor morremos. Quer vivamos, quer morramos, somos do Senhor". (Romanos 14:8)
Deus é soberano, para Deus não há impossíveis, para Deus não tem causa perdida, para Deus não tem sonho morto, para Deus todas as coisas são possíveis, e Ele não nos dá provação maior do que possamos suportar.
Então ficou claro para mim, vou Ter este bebê, não vou ficar chorando o tempo todo, nem vou lamentar, vou sentir cada mexida que ele der na minha barriga, vou acariciá-lo, conversar com ele, vou amá-lo tanto quanto puder.
E assim foi até a trigésima semana, quando comecei sentir uma dor e achei que não era nada, mas ela foi aumentando e então percebemos que se tratavam das contrações.
Ainda me lembro dos últimos momentos em que senti ele se mexendo e falei com ele, lembro que fiquei pensando, ainda faltam dois meses e eu ainda o terei por esses dois meses.
Fomos para a maternidade dia 14 de janeiro de 2005, cheguei lá á 1:05 da manhã. O médico me examinou e disse : dentro de vinte minutos o bebê vai nascer.
Nem tive tempo de pensar em nada, eu só pensava que naquela hora eu iria passar por isso, de qualquer forma, e fui para o cento obstétrico.
O bebê nasceu á 1:18, e logo eu percebi que ele não chorou. Eu queria muito Tê-lo visto vivo, mas quando a enfermeira o trouxe eu o olhei, todo o seu corpinho perfeito, e como um machucado na cabeça. tinha cabelos, não chorei, mas senti uma paz muito grande de tê-lo deixado viver, de Ter vivido com ele esse curto período de tempo.
Meu marido providenciou o enterro no mesmo dia.
Depois ao voltar para casa dá um vazio, uma tristeza estranha, mas dá também muita paz por saber que não abreviei essa pequena vida.
Não busco respostas de Deus para o que aconteceu, sei que não irei encontrar. Busco retomar a minha vida, e esperar mais uma vez por uma outra oportunidade.
Um filho não substitui outro, sempre irei saber que o meu querido filho morreu.
O mundo ao seu redor tem sempre palavras de desânimo, mas a Palavra de Deus tem promessas de vida para você.
Lute de cabeça erguida, decidida a vencer, a não entregar os pontos, a não desanimar.
Não desista de seus sonhos! Você é fruto do sonho de Deus! Mas lembre-se: muito mais importante que realizar um sonho pessoal é realizar um sonho do coração de Deus !
Existem coisas que não podemos impedir que aconteçam, mas nos levam a mudar muitas coisas na nossa vida, principalmente os nossos conceitos.
Não foi uma boa experiência, mas não foi insuportável.
Se eu pudesse ter um desejo na vida, um sonho que se realizou eu queria Ter tido esse filho.
Um milhão de palavras não vão trazê-lo. Eu sei por que eu tentei.
E nem um milhão de lágrimas; eu sei, por que eu chorei.
Meu coração ainda sangra mas ele deixou em nossas vidas muitas lembranças;
Eu não queria só lembranças, eu só queria ele.
Li o texto abaixo num site e gostei muito. Tomei posse ! Espero que sirva para você também.

A hora mais escura da noite, é o inicio de um novo amanhecer.
Nenhuma circunstancia é maior do que Deus.
O trabalho feito com sabedoria muda qualquer sorte.
Com Deus do seu lado quem precisa de lagrimas ?
Não olhe para os lados nem para frente.
Olhe para cima, nessas horas difíceis, Deus estará te carregando.
E lembre-se, o socorro vem sempre depois do que achamos ser
O ultimo momento.
Aprenda a deixar Deus fazer, você nunca se arrependerá.
Orlando Dardenne

CNPJ 01.813.315/0001-10 - Reconhecido como entidade de utilidade pública municipal pela lei 2497/97
Rua Bela Vista, Quadra M, Lote 65, Jardim Goiano, 75140-460, Anápolis, GO
Para correspondência: Caixa Postal 456 75024-970 - Anápolis - GO
Telefones (62)3313-4792 / (62)3315-9413
Produzido por Trídia Criação

Usando Joomla!